Mastopexia

O procedimento

O Lifting das mamas, Mastopexia ou plástica de levantamento das mamas é realizada para restaurar o formato e a consistência dos seios. Ao longo do tempo, os efeitos da gravidade e da perda de elasticidade natural da pele começam a refletir na aparência dos seios. Esses fatores, combinados com a gravidez, amamentação e grandes perdas de peso reduz o volume das mamas e as torna mais flácidas.

Os melhores resultados são geralmente alcançados em pacientes com pequena a moderada flacidez dos seios. Nos casos em que o Lifting dos seios exige uma perda grande de volume da mama, a Mastopexia é associada a colocação de implantes mamários.

Perguntas Frequentes

Preciso ou posso colocar próteses?
Se você tem tecido suficiente para dar um volume bonito as suas mamas, não há necessidade de inclusão de silicone. Vamos tirar o excesso de pele e reposicionar as aréolas para dar uma forma equilibrada e bonita ao seu corpo. Porém aquelas pacientes que tem a mama “murcha” e com pouco tecido glandular, é possível fazer a cirurgia de levantamento (pexia) e inclusão de próteses. Durante a consulta médica e avaliação física discutiremos se o seu caso precisará ou não de próteses de silicone.
Esta cirurgia deixa cicatrizes?
Sim, verdadeiro. As cicatrizes passarão por diversas fases até que se atinja a fase final de maturação. Assim é que temos:

1. PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30º dia e apresenta-se com aspecto excelente e pouco visível. Alguns casos apresentam discreta reação aos pontos ou ao curativo.

2. PERÍODO MEDIATO: Vai do 30º dia até o 12º mês. Neste período haverá espessamento natural da cicatriz, bem como mudança na sua tonalidade, passando de “vermelho” para o “marrom”, que vai, aos poucos, clareando. Este período, o menos favorável da evolução cicatricial, é o que mais preocupa as pacientes. Como não podemos apressar o processo natural da cicatrização, recomendamos às pacientes que não se preocupem, pois o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais.

3. PERÍODO TARDIO: Vai do 12º ao 18º mês. Neste período a cicatriz torna-se mais clara e menos consistente atingindo, assim, o seu aspecto definitivo. Qualquer avaliação do resultado definitivo da Cirurgia Plástica das Mamas deverá ser feita após este período.
Onde se localizam as cicatrizes?
Dependendo da técnica empregada, poderemos ter variações quanto às cicatrizes. Normalmente existem cicatrizes em forma de “T” invertido, na parte inferior da mama. Como vamos reposicionar a aréola, observa-se também cicatrizes ao redor da aréola. Outros tipos de cicatrizes, como em “I” (vertical), “L/J” ou periareolares, são viáveis. Com o decorrer do tempo (vide item anterior), as cicatrizes vão melhorando o seu aspecto.
Ouvi dizer que algumas pacientes ficam com cicatrizes muito visíveis. por que isso acontece?
Certas pacientes apresentam tendência à cicatrização hipertrófica ou ao queloide. Essa tendência, entretanto, poderá ser avaliada, até certo ponto, durante a consulta inicial, quando lhe são feitas uma série de perguntas sobre sua vida clínica pregressa, bem como a análise das características familiares, que muito nos ajudam quanto ao prognóstico das cicatrizes. Geralmente, pessoas de pele clara não tendem a esta complicação cicatricial; pessoas de pele morena e de descendência asiática têm maior predisposição ao queloide ou à cicatriz hipertrófica. Isto, entretanto, não é uma regra absoluta. A análise dos antecedentes, como já o dissemos, nos facilitará o prognóstico cicatricial, assim como a análise de eventuais cicatrizes prévias.
Existe correção para cicatrizes hipertróficas?
Vários recursos clínicos e cirúrgicos nos permitem melhorar cicatrizes inestéticas na época adequada. Não se deve confundir, entretanto, o “período mediato” da cicatrização normal (do 30º dia até o 12º mês) como sendo uma complicação cicatricial. Qualquer dúvida a respeito da sua evolução deverá ser esclarecida com seu médico e nunca com outras pessoas que, como você, “também estão apreensivas quanto ao resultado final”.
Como ficarão minhas novas mamas em relação ao tamanho e consistência?
As mamas podem ter seu volume reduzido através da cirurgia; além disso sua consistência e forma também são melhoradas. Podemos optar por vários volumes, dentro das possibilidades que a mama original nos permita planejar, sem comprometê-la futuramente. Aqui, como no caso de aumento do volume, deverão ser equilibradas as proporções entre o volume da nova mama e o tamanho do tórax da paciente a fim de obtermos maior harmonia estética. As "novas mamas” passam por vários períodos evolutivos, em relação à sua forma:

1. PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30º dia. Neste período, apesar das mamas apresentarem-se com seu aspecto bem melhorado, sua forma ainda está aquém do resultado planejado, pois, para que se atinja a forma definitiva ainda existem “pequenos defeitos” aparentes iniciais (inevitáveis em todos os casos), que desaparecem com o decorrer do tempo. Lembre-se desta observação: Seu resultado final somente ocorrerá após o período tardio.

2. PERÍODO MEDIATO: Vai do 30º dia até o 8º mês. Neste período a mama começa a apresentar uma evolução que tende à forma definitiva (o que ocorrerá após o 8º mês). Poderão ocorrer neste período um aumento ou diminuição da sensibilidade do mamilo, além de maior ou menor grau de "inchaço" das mamas; além disso, sua forma está aquém da definitiva. Apesar da euforia da maioria das pacientes já neste período, costumamos dizer que o resultado ficará ainda melhor.

3. PERÍODO TARDIO: Vai do 8º ao 18º mês. É o período em que a mama atinge seu aspecto definitivo (cicatriz, forma, consistência, volume, sensibilidade). É neste período que costumamos comparar fotograficamente os casos operados com o aspecto pré-operatório de cada paciente. Tem grande importância no resultado final o volume da mama e o grau de elasticidade da pele.
Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo?
Apesar do resultado imediato e mediato satisfazerem bastante às pacientes, somente entre o 8º e 18º mês é que as mamas atingirão sua forma definitiva (vide item anterior).
Qual o tipo de traje de banho que poderei usar após a cirurgia?
No período mediato e tardio qualquer tipo de traje, de uma ou duas peças. É claro que, após o amadurecimento das cicatrizes os maiôs poderão ser mais “generosos”, a seu critério. Nas grandes reduções mamárias, entretanto, a cicatriz horizontal é um pouco mais extensa o que determinará a escolha do maiô que melhor disfarce sua presença.
No caso de nova gravidez, o resultado permanecerá ou ficará prejudicado?
Isso depende de como a sua mama se comportará durante a gestação. É normal que as mamas se desenvolvam durante a gestação e regridam após a mulher parar de amamentar. É como se fosse um efeito sanfona. O resultado da cirurgia ficará mais prejudicado quanto maior for esse “efeito sanfona”.
O pós-operatório da cirurgia mamária é doloroso?
Geralmente não, desde que você obedeça às instruções médicas, principalmente em relação à movimentação dos braços nos primeiros dias.
Há perigo nesta operação?
Raramente a Mamoplastia Redutora traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para o ato operatório.
Qual o tipo de anestesia utilizada?
Normalmente utilizamos anestesia geral. Mas o anestesista pode também associar peridural e sedação.
Quanto tempo dura o ato cirúrgico?
Depende do tipo de mama. Costuma levar de 2 horas e meia a 3h, podendo-se estender um pouco mais, em certos casos. Entretanto, o tempo da cirurgia não deve ser confundido com o tempo de permanência da paciente no Centro Cirúrgico, que envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória.
Qual o período de internação?
Costuma ser de um dia.
Quando são retirados os pontos?
Entre o oitavo e o vigésimo primeiro dia de pós-operatório.
Quando poderei voltar ao meu trabalho e praticar exercícios físicos?
Obviamente essa resposta vai depender da recuperação individual de cada paciente e também do tipo de trabalho que você realiza. Porém, normalmente liberamos ao trabalho após 20 dias de cirurgia. Com relação aos exercícios físicos liberamos inicialmente em membros inferiores entre 15 a 21 dias, evitando-se o "alto impacto". Os exercícios que envolvam o tórax, geralmente devem aguardar além de 45 a 60 dias e devem ser retomados gradualmente.
Tenho que usar o sutiã cirúrgico por quanto tempo?
Normalmente por 3 meses, porém durante o primeiro mês você deverá usar constantemente e retirar apenas para o banho. Já no segundo e terceiro mês o seu médico poderá liberar em algumas situações especiais.

Guia Pré-Operatório


  • Suspender o fumo e anticoncepcional conforme orientado em consulta

7 dias antes da cirurgia:

  • Evitar: Ginkgo Billoba, ômega 3 e alho (todos são estimulantes da circulação e aumentam o sangramento cirúrgico)
  • Não tomar: Aspirina (AAS)
  • Tomar de 2-3 litros de líquidos
  • Evitar bebida alcóolica
  • Manter exercícios físicos, caso não faça, fazer caminhada por 30 minutos diariamente
  • Alimentação leve, evitando alimentos gordurosos
  • Durma com qualidade, respeitando o seu cansaço e evitando alimentação próxima ao momento de deitar
  • Não fazer viagens longas um dia antes da cirurgia
  • Jejum absoluto inclusive água 8h antes da cirurgia

  • Tricotomia (depilação) total da região de axilas
  • Medicamento de rotina com mínimo de água (Informar o Dr. Fabrício/assistentes)
  • Caso utilize esmaltes que seja claro
  • Não ir de cabelo molhado para o hospital
  • Retirar brincos, piercing ou qualquer outro tipo de metal
  • Levar para o hospital todos os exames pré-operatórios
  • Leve roupa “prática” com botões e chinelos
  • Leve medicamento de uso contínuo
  • Não leve objetos de valor e supérfluos
  • Antes da cirurgia Dr. Fabrício passa no quarto e conversa com paciente e familiares
  • A mesma é levada ao centro cirúrgico onde será realizada a anestesia (geral ou peridural)
  • O tempo cirúrgico dura em torno de 2:30h –3h. No fim da cirurgia colocamos a cinta cirúrgica e a paciente é encaminhada para a recuperação anestésica
  • Dr. Fabrício passa no quarto para conversar com familiares dando todas as informações inerentes ao ato cirúrgico
  • Em seguida a paciente é levada para o quarto onde será oferecido líquido e dieta
  • Mantemos o aparelho Flebopress (massageador de permas) para evitar trombose
  • A paciente ficará com sonda vesical que será retirada no momento da alta

  • A alta médica é realizada no fim do dia ou no dia seguinte onde a paciente será examinada e todas as dúvidas esclarecidas

Orientações para Mastopexia com ou sem prótese:

  • Alimentação rica em proteínas (frango ou peixe), frutas e verduras. Evite gorduras
  • Tome muito líquido (3L/dia): água, suco natural, gatorade e a água de coco
  • Você não está doente, portanto não fique apenas deitada. Quando estiver descansando movimente membros inferiores e mãos
  • Modelador cirúrgico 24h. Tirar apenas para o banho, mas não molhar o curativo até o primeiro retorno
  • Não realizar esforço físico. Dirigir, academia e exposição solar após liberação médica
  • Evite todas as formas de calor
  • Ter febre baixa no pós-operatório é normal, mas se exceder 38°. C entre em contato
  • O uso de antibiótico pode diminuir a eficácia do anticoncepcional. Portanto, relação sexual somente com camisinha por 30 dias
  • Seguir receita médica
  • Dor leve, equimose (roxo), discreto sangramento e edema (inchaço) nos primeiros dias são normais
  • O braço pode elevar somente até altura dos ombros
  • Lembre-se: o sucesso da cirurgia também depende de você. Boa Recuperação!

  • Material para curativos: gaze e micropore (3M) e sabonete líquido Protex
  • 1° Retorno: entre o 3° - 6° dia (limpeza da ferida)
  • 2° Retorno: entre 7° - 10° dia
  • 3° Retorno: entre 14° - 20° (retirada de pontos)
  • O próximo retorno é por volta de 1 mês de cirurgia
  • Dirigir, relação sexual e academia dependem da recuperação individual de cada paciente. Normalmente com 25 dias já é possível

Considerações Finais

Por favor, leia atentamente

Esclarecemos que o procedimento cirúrgico deve ser realizado segundo técnicas cirúrgicas consagradas e publicadas cientificamente. Enfatizamos que em cirurgia plástica não há promessa de resultados o que, eticamente, não deve ser feito, uma vez que a própria medicina não é uma ciência exata e dependeremos da sua reação orgânica pós-cirúrgica para o alcance de nossos objetivos.

O código de normas e condutas do Cirurgião Plástico da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica proíbe a exibição de fotos de pré e pós-operatório nos meios de comunicação, como jornal, internet e TV, mesmo que haja autorização do paciente.

Também é vedada a divulgação de preços e condições de pagamento.

Sua consulta é fundamental para completo esclarecimento, inclusive complicações inerentes a qualquer procedimento médico.

Verifique se o seu médico pertence à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e está gabaritado a fazer a sua cirurgia.

Agende sua consulta

whats