Otoplastia

O procedimento

A Otoplastia é o procedimento cirúrgico para corrigir as orelhas de abano, um defeito congênito, de característica familiar, geralmente bilateral, cujas alterações consistem em um aumento do ângulo entre a orelha e a cabeça (abertura da orelha) e alterações de alguns relevos da orelha. A cirurgia se propõe a modelar a cartilagem auricular além de corrigir o ângulo dando um aspecto natural à orelha.

Embora não seja incomum entre os adultos, a Otoplastia é indicada a partir da idade escolar, entre os 5 e 7 anos, quando a criança estiver com a orelha desenvolvida e já tiver consciência da cirurgia e seus fins além de evitar danos psicossociais devido ao bullying.

O objetivo cirúrgico é reduzir a evidência das orelhas em abano, a sua projeção em relação à cabeça e corrigir assimetrias entre elas.

Intercorrências

As intercorrências são situações que surgem no período pós-operatório e não interferem no resultado. São exemplos: equimoses (manchas roxas na pele), edema (inchaço), pequenos hematomas que podem drenar espontaneamente ou necessitar drenagem cirúrgica, deiscência de pontos (abertura do corte) e etc. Outras intercorrências indesejáveis e mais complexas como infecção e grande deiscência de pontos, felizmente são raras. Nestas eventualidades é fundamental manter a calma e conversar profundamente com seu médico que cuidará atentamente do seu caso. O paciente não deve transmitir a existência destas intercorrências a seus amigos e familiares. Eles poderão deixá-lo inseguro, nada podendo fazer efetivamente para ajudá-lo. Isto gera angústia dúvidas e insegurança. Continuar confiando no seu médico ainda é o melhor caminho e ele saberá como lhe ajudar.

A recidiva da orelha em abano é uma condição pouco comum, mas que pode ocorrer, dependendo da técnica operatória empregada e dos cuidados pós-operatórios seguidos pelo cliente.

A Cirurgia

Esta cirurgia geralmente é realizada sob anestesia local e sedação, podendo ser geral dependendo do paciente e a critério do anestesista. Quando a criança é de baixa idade e se apresenta muito agitada ou ansiosa com a cirurgia, recomendamos a anestesia geral para conseguirmos a devida imobilização do paciente. Neste aspecto é muito importante que a criança esteja motivada para a cirurgia e realmente desejando as melhoras propostas, pois assim ela participa e colabora bastante com o procedimento, até permitindo a cirurgia com anestesia local.

A duração do procedimento é de aproximadamente duas horas e devemos lembrar que o tempo que o paciente fica no centro cirúrgico é maior devido à preparação e à recuperação pós-anestésica. Não há necessidade da internação hospitalar, ou seja, o paciente pode ir para casa no mesmo dia, salvo se ocorrerem alterações pós-operatórias (recuperação anestésica, sangramentos).

As cicatrizes deste tipo de cirurgia são geralmente imperceptíveis em razão de se localizarem atrás das orelhas. Sendo uma região de pele muito fina, a tendência da cicatriz é ficar de bom padrão. Como toda cirurgia, as particularidades existem e também as maneiras específicas de as tratar. Em situações especiais incisões anteriores nas orelhas (futuras cicatrizes) poderão ser necessárias para cuidar destas peculiaridades. Estes casos serão detalhadamente esclarecidos nas consultas pré-operatórias.

As cicatrizes também podem evoluir mal, dependendo de cada organismo.

Perguntas Frequentes

A cirurgia da orelha em abano deixa cicatrizes?
A cicatriz desta cirurgia é praticamente imperceptível, localiza-se atrás da orelha, na transição entre esta e o crânio.
Qual o tipo de anestesia?
Crianças: anestesia geral.

Adultos: anestesia local com ou sem sedação.
Qual o período de internação?
Em adultos pode ser feita em regime ambulatorial, quando o paciente fica em observação por algumas horas após a cirurgia e é liberado para casa.

Em crianças a internação costuma ser de 12 a 24hs dependendo do tipo de anestesia e idade do paciente.
Quanto tempo demora o ato cirúrgico?
Geralmente em torno de 90 minutos. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória.
Há perigo nesta operação?
O perigo não é maior ou menor que aquele de se viajar de automóvel, avião ou mesmo o simples atravessar de uma rua. São riscos do quotidiano, os quais estamos acostumados a enfrentar.
Há dor no pós-operatório?
Um certo incômodo poderá ocorrer no pós-operatório. Mesmo que ocorra uma sensibilidade maior ou pequenos períodos de dor, estes poderão ser perfeitamente abolidos com o uso de analgésicos comuns.
Como é o curativo?
Faz-se a proteção da cicatriz com curativos pequenos. Protege-se a orelha (principalmente em crianças) nos primeiros dias com uma espécie de touca, a fim de evitar traumatismos locais. Em adultos, após o primeiro curativo, recomenda-se o uso de faixa tipo "ballet" ou "tenista".
Quando são retirados os pontos? Há dor?
Os pontos são retirados por volta do 10º ao 12º dia. Não existe dor na retirada, eventualmente um pequeno incômodo.
Em quanto tempo se atingirá o resultado definitivo?
As orelhas ficarão mais inchadas na primeira semana. No final do primeiro mês as orelhas estarão praticamente prontas, mas o resultado final só virá após 3 meses de pós-operatório.
Não há o risco de “voltar o problema do abano” após a cirurgia?
Existe uma taxa de recidiva de mais ou menos 3%. Convém salientar que uma leve assimetria poderá ocorrer, pois, mesmo nas pessoas que não fizeram cirurgia, as orelhas não são exatamente iguais.

Guia Pré-Operatório


  • Suspender o fumo e anticoncepcional conforme orientado em consulta

7 dias antes da cirurgia:

  • Evitar: Ginkgo Billoba, ômega 3 e alho (todos são estimulantes da circulação e aumentam o sangramento cirúrgico)
  • Não tomar: Aspirina (AAS)
  • Tomar de 2-3 litros de líquidos
  • Evitar bebida alcóolica
  • Manter exercícios físicos, caso não faça, fazer caminhada por 30 minutos diariamente
  • Alimentação leve, evitando alimentos gordurosos
  • Durma com qualidade, respeitando o seu cansaço e evitando alimentação próxima ao momento de deitar
  • Não fazer viagens longas 1 dia antes da cirurgia
  • Jejum absoluto inclusive água 8h antes da cirurgia

  • Medicamento de rotina com mínimo de água (Informar o Dr. Fabrício/assistentes)
  • Caso utilize esmaltes que seja claro
  • Não ir de cabelo molhado para o Hospital
  • Levar para o hospital todos os exames pré-operatórios
  • Retirar brincos, piercing ou qualquer outro tipo de metal
  • Leve roupa “prática” com botões e chinelos
  • Leve medicamentos de uso contínuo
  • Não leve objetos de valor e supérfluos
  • Antes da cirurgia Dr. Fabrício passa quarto e conversa com paciente e familiares
  • O paciente é levado(a) ao centro cirúrgico onde será realizada a anestesia local e sedação
  • O tempo cirúrgico dura em torno de 1:30h
  • No fim da cirurgia colocamos a cinta cirúrgica e a paciente é encaminhada para a recuperação anestésica
  • Dr. Fabrício passa no quarto para conversar com familiares dando todas as informações inerentes ao ato cirúrgico
  • Em seguida a paciente é levada para o quarto onde será oferecido líquido e dieta
  • Mantemos o aparelho Flebopress (massageador de pernas) para evitar trombose
  • A paciente ficará com a cabeça e orelhas enfaixado com uma atadura para evitar traumas

  • A alta médica é realizada no fim do dia ou no dia seguinte onde a paciente será examinada e todas as dúvidas esclarecidas

Orientações para Otoplastia:

  • Alimentação rica em proteínas (frango ou peixe), frutas e verduras. Evite gorduras
  • Você não está doente, portanto não fique apenas deitado(a). Quando estiver descansando movimente membros inferiores e mãos
  • Não realizar esforço físico
  • Evite todas as formas de calor
  • Tomar sol após liberação médica
  • Tomar banho com água morna e não bater as orelhas
  • Ter febre baixa no pós-operatório é normal, mas se exceder 38°C entre em contato
  • Seguir receita médica. Se reação alérgica entrar em contato
  • Dor leve, equimose (roxo), discreto sangramento e edema (inchaço) nos três primeiros dias são normais
  • O uso de antibiótico pode diminuir a eficácia do anticoncepcional. Portanto, relação sexual somente com camisinha por 30 dias
  • Usar a faixa por 15 dias (dia e noite) e mais 15 dias apenas a noite
  • Não dormir de lado por 30 dias
  • Lembre-se: o sucesso da cirurgia também depende de você. Boa Recuperação!

  • Material para curativos: sabonete liquido anti-bactericida, gaze e cotonete
  • 1° Retorno: entre o 3° - 6° dia (limpeza da ferida)
  • 2° Retorno: entre 7° - 10° dia
  • 3° Retorno: entre 10° - 14° (retirado pontos)
  • O próximo retorno é por volta de 1 mês de cirurgia
  • Dirigir e trabalhar normalmente após o 3° dia está liberado, porém dependemos da recuperação individual de cada paciente.

Considerações Finais

Por favor, leia atentamente

Esclarecemos que o procedimento cirúrgico deve ser realizado segundo técnicas cirúrgicas consagradas e publicadas cientificamente. Enfatizamos que em cirurgia plástica não há promessa de resultados o que, eticamente, não deve ser feito, uma vez que a própria medicina não é uma ciência exata e dependeremos da sua reação orgânica pós-cirúrgica para o alcance de nossos objetivos.

O código de normas e condutas do Cirurgião Plástico da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica proíbe a exibição de fotos de pré e pós-operatório nos meios de comunicação, como jornal, internet e TV, mesmo que haja autorização do paciente.

Também é vedada a divulgação de preços e condições de pagamento.

Sua consulta é fundamental para completo esclarecimento, inclusive complicações inerentes a qualquer procedimento médico.

Verifique se o seu médico pertence à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e está gabaritado a fazer a sua cirurgia.

Agende sua consulta

whats