Prótese de Mama

O procedimento

A Mamoplastia de aumento, ou colocação de prótese de silicone nos seios, é realizada para aumentar o tamanho ou alterar a forma dos seios. O objetivo é melhorar o contorno corporal, corrigir a redução do volume das mamas após gestações ou ainda equilibrar o tamanho de mamas assimétricas.

Um minucioso planejamento pré-operatório é necessário para um resultado satisfatório. Fatores da paciente como altura, peso, biotipo, medida da parede torácica e tamanho e forma desejados das mamas devem ser considerados antes da realização da Mamoplastia de aumento.

Médico e paciente devem avaliar aspectos relativos ao implante de silicone. Assim, a localização do implante (atrás do tecido mamário ou do músculo peitoral), sua forma (redonda ou gota), sua superfície (lisa, texturizada ou de poliuretano) e a localização da incisão (axila, ao redor da aréola ou sulco mamário) devem ser decididas de comum acordo. São utilizados implantes mamários de silicone aprovados por agências reguladoras nacionais e internacionais para uso em seres humanos, constituídos de gel coesivo de última geração, que garante segurança em relação aos tecidos mamários. Essa propriedade permite saber de uma forma mais precisa como vai ficar a mama depois da implantação.

A escolha do modelo de implante mamário juntamente com o seu médico, é fundamental para a sua satisfação plena. A sua beleza interfere no seu bem-estar, transmitindo a felicidade em estar bem consigo mesmo a outras pessoas. Para alguns o implante mamário serve para acrescentar a beleza em bem-estar. Para outras pessoas o implante mamário ajuda enfrentar preconceitos e baixa autoestima, como no caso das pacientes que já passaram por mastectomia.

Indicações

Esta cirurgia está indicada nos casos de AMASTIA (ausência congênita das mamas), HIPOMASTIA (volume diminuído das mamas), ASSIMETRIAS (uma mama é muito menor que a outra), nos casos de volume normal, mas quando há o DESEJO de aumento volumétrico das mamas e nas RECONSTRUÇÕES MAMÁRIAS secundárias a um defeito morfológico deixado pela ressecção da cirurgia anterior.

Recentemente, podemos observar um aumento da procura pela Mamoplastia de Aumento, justificada por um modismo internacional, aliado à melhor qualidade e segurança das próteses e ao pequeno tamanho das cicatrizes resultantes.

Quando Operar

As Mamoplastias Estéticas podem ser realizadas a partir do completo desenvolvimento das mamas. Isto tem ocorrido mais precocemente nas últimas décadas devido às mudanças impostas pelas alterações dos hábitos de vida como o uso frequente de hormônios femininos e o início da atividade sexual, dentre outros fatores. Assim, a partir dos 15 a 16 anos já é possível operar as adolescentes com desenvolvimento completo das mamas, atendendo suas necessidades estéticas. Ao considerarmos o período de lactação, recomendamos aguardar pelo menos 6 meses após interrompê-lo para programar sua cirurgia.
É extremamente importante ressaltar que as assimetrias mamárias são muito frequentes, podendo ser decorrentes do formato assimétrico das mamas ou do tórax (em geral alterações congênitas). Assim, podemos dizer que a simetria das mamas nem sempre pode ser alcançada pela cirurgia, apesar de termos este objetivo. Se a própria natureza não as deixou idênticas, pode-se imaginar que este objetivo não é tão simples de ser alcançado.

Tamanho

Na primeira consulta, a paciente avalia, juntamente com o cirurgião, os diversos volumes de próteses mamárias, adequando seu desejo às possibilidades técnicas e ao conjunto estético corporal. Serão apresentadas à cliente as próteses mamárias similares às que serão usadas. A escolha do tamanho ideal do implante é feita baseada nas medidas das mamas (base, altura e projeção mamária), no o desejo da paciente e na experiência do cirurgião. São testados os tamanhos das mamas com moldes durante a cirurgia e será escolhido o mais harmônico em relação a estrutura corporal.

Modelo

Os implantes mamários podem ter diversos formatos, e para saber o formato ideal para você, diga qual o seu desejo de beleza ao seu médico especialista.

Modelos redondos: Deixa a mama com aspecto mais redondo, enfatizando o polo superior. Ele pode ser de perfil moderado e alto (que são os mais usados) e super alto.

Modelos anatômicos: Seguem as linhas naturais do corpo. Eles podem ter diversas projeções entre alturas e larguras.

Expansores: Usados em casos de reconstrução mamária, onde necessita expandir o tecido para a colocação de um implante definitivo.

Com implantes redondos ou anatômicos se pode aumentar o tamanho da mama de acordo com o seu desejo.
Existem alguns tipos de incisões para a colocação do implante mamário e juntamente com o seu médico escolha o que mais se adequada a você:

Inframamário: A incisão é feita no sulco mamário (abaixo da mama).

Periareolar: A incisão é feita ao redor do complexo aréolo-mamilar.

Transaxilar: A incisão é feita embaixo do braço.

Após a escolha da incisão, deve-se escolher o plano onde será posicionado o implante:

Subglandular: O implante é posicionado abaixo da glândula mamária e na frente do músculo peitoral.

Subfascial: O implante é posicionado abaixo da fáscia conjuntiva (lamina de tecido que separa a glândula mamaria do músculo peitoral).

Submuscular: O implante é posicionado abaixo do músculo peitoral.

A Cirurgia

O procedimento dura cerca de 50 minutos e, em geral, é realizado sob anestesia geral ou local com sedação. Pode ser usada outra anestesia, dependendo da avaliação do caso pela equipe cirúrgico-anestésica. Tudo isto será conversado com você antes da cirurgia, ponderando-se todos os aspectos.

As mamas são incisadas de acordo com a programação prévia, dissecando-se um espaço para a inclusão das próteses. Tecnicamente, este espaço pode ser: retro glandular (logo atrás da mama), retro fascial (atrás da fáscia peitoral) ou retro muscular (atrás do músculo peitoral maior). Cada possibilidade será explicada detalhadamente pelo seu médico.

A prótese é posicionada e recoberta pelo tecido mamário que então é suturado por cima dela com diversos tipos de pontos. Quando indicado, corrige-se a ptose (queda) associada.

O curativo é feito de forma a ajudar na modelagem das mamas devendo ser sobreposto por um sutiã adequado (sem rendas ou aros) de forma a moldar toda a mama, mas sem estar apertado. O sutiã só deve ser retirado para o banho.

Toda e qualquer anormalidade encontrada durante a cirurgia como cistos ou nódulos serão encaminhados para exame específico.

Perguntas Frequentes

Como é feita a avaliação pré-operatória?
Todos os dados relativos à sua saúde serão questionados, incluindo doenças prévias ou em tratamento, uso de medicamentos, tabagismo, alergias medicamentosas, alimentares ou diversas, cirurgias prévias, história familiar para câncer de mama, condições de controle das mamas com o especialista, etc.

Após conversar com seu médico e esclarecer todas as suas dúvidas, ele lhe indicará alguns exames pré-operatórios. Também uma avaliação clínico-cardiológica (risco cirúrgico) será recomendada. Em casos determinados podemos solicitar a mamografia, ultrassom ou outro exame específico que possa ajudar no esclarecimento diagnóstico. .

Lembre-se das recomendações gerais para as cirurgias, como não usar, por 2 semanas antes, medicamentos à base de AAS, anticoagulantes, corticoides de uso prolongado ou medicamentos para emagrecer. Abstinência do fumo por 30 dias antes da operação; não usar cremes corporais a partir da véspera da cirurgia; jejum de acordo com a recomendação médica (8 horas antes da cirurgia). Comunicar ao seu médico qualquer anormalidade. .

Lembramos que nenhum procedimento cirúrgico é isento de riscos. Eles são, de uma maneira geral previsíveis e controláveis. Somente realizamos cirurgias estéticas em pacientes saudáveis e que passaram por uma criteriosa avaliação clínico-cardiológica.
Quais são as orientações pós-operatórias?
Normalmente, esta cirurgia não apresenta um pós-operatório doloroso. Mesmo assim se apresentar algum grau aumentado de sensibilidade dolorosa, o uso de analgésicos comuns resolve bem e serão recomendados em sua prescrição de pós-operatório. Somente use medicamentos recomendados pelo seu médico, seguindo todas as orientações dadas pela equipe cirúrgica. É melhor que você esclareça suas dúvidas com quem a operou ao invés de pedir orientações a amigos que não conhecem detalhadamente o seu caso. .

Na alta hospitalar, a paciente deve receber, por escrito, todas as recomendações necessárias a uma boa recuperação. .

*OBSERVAÇÃO: Sangramentos ou variações volumétricas exageradas (aumento da mama), na maioria das vezes unilateral e súbito, acompanhados de dor, devem ser imediatamente comunicados ao seu médico. Pode se tratar de um hematoma e deve ser avaliado prontamente.
Quais as possíveis intercorrências e complicações?
A formação de uma cápsula fibrosa envolvendo as próteses é uma intercorrência indesejável que pode ocorrer. Com o uso das próteses mais modernas e de melhor qualidade, tal incidência caiu de 30% para cerca de 2% a 4%. O nosso organismo reage de maneira a expulsar qualquer material estranho nele introduzido. Não podendo fazê-lo com as próteses, o corpo cria uma cápsula fibrosa, para isolá-las completamente do seu contato. Assim, todas as próteses são recobertas por uma cápsula de diferentes espessuras, que começa a se desenvolver após algumas semanas da cirurgia. O grau de encapsulamento é variável, podendo ir de imperceptível (não necessitando de tratamento cirúrgico) até o comprometimento das mamas com dor e deformidade (complicação). Neste extremo, o tratamento é cirúrgico com substituição ou mesmo retirada das próteses. .

As complicações felizmente são raras: infecção, grande deiscência (abertura) de pontos, necrose (morte) parcial ou total da pele das aréolas e grandes hematomas que precisam ser drenados. Nestas eventualidades é fundamental manter a calma e conversar profundamente com seu médico que cuidará atentamente do seu caso. A paciente não deve transmitir a existência destas intercorrências a seus amigos e familiares. Eles poderão deixá-la insegura, nada podendo fazer efetivamente para ajudá-la. Isto gera angústia dúvidas e insegurança. Continuar confiando no seu médico ainda é o melhor caminho e ele saberá como lhe ajudar.
Evolução em longo prazo
A mamoplastia de aumento associada ou não a mastopexia não é cirurgia para o resto da vida. A qualidade do resultado sofre alterações contínuas ao longo dos anos. Alguns fatores como idade, variação do peso corporal, qualidade e textura da pele, influências hormonais, gravidez, lactação e substituição adiposa das glândulas mamárias interferem de forma incisiva nas mamas, independentemente de terem ou não sido operadas. .

Existe ainda a possibilidade da troca das próteses por outras de maior ou menor volume de acordo com a vontade da paciente ou a necessidade de adequação às novas condições das mamas. Assim, uma nova cirurgia poderá ser indicada quando, com o passar do tempo, estas alterações se apresentarem, alterando o formato e/ou volume mamários. As próteses ficam posicionadas como na cirurgia do implante, porém, os tecidos mamários que a elas se sobrepõem sofrem a ação dos diversos fatores acima relacionados, podendo necessitar de remodelação posterior (correção de algum grau de ptose - queda).
Como funciona a troca das próteses?
A troca das próteses mamárias somente é recomendada nos casos de ruptura, deformidades morfológicas, encapsulamento severo, infecção ou desenvolvimento de doenças mamárias incompatíveis com a permanência deste corpo estranho no organismo. O acompanhamento clínico e o controle mamográfico irão detectar estas alterações, indicando a troca. Não há obrigatoriedade de troca a cada 10 anos.
A cirurgia de aumento das mamas deixa cicatrizes?
Felizmente, esta cirurgia permite-nos colocar as cicatrizes bastante disfarçadas, o que é muito conveniente nos primeiros meses. A maioria de nossas incisões ficam no sulco da mama e não costumam incomodar as pacientes.
Onde se localizam as cicatrizes?
Elas podem ser colocadas no sulco mamário (sulco formado entre a mama e o tórax), na aréola, e até mesmo na axila. O local ideal é definido com base no tipo/forma e tamanho da mama, tamanho das aréolas e desejo da paciente. Desde os primeiros dias de pós-operatório poderá ser usado um "decote bastante generoso", pois as cicatrizes ficam bastante disfarçadas. Com o decorrer do tempo (vide item anterior), as cicatrizes vão ficando menos visíveis.
Ouvi dizer que algumas pacientes ficam com cicatrizes muito visíveis. é verdade?
Certas pacientes apresentam tendência à cicatrização hipertrófica ou ao queloide. Essa tendência, entretanto, poderá ser avaliada, até certo ponto, durante a consulta inicial, quando lhe são feitas uma série de perguntas sobre sua vida clínica pregressa, bem como a análise das características familiares, que muito nos ajudam quanto ao prognóstico das cicatrizes. Geralmente, pessoas de pele clara não tendem a esta complicação cicatricial; pessoas de pele morena e de descendência asiática têm maior predisposição ao queloide ou à cicatriz hipertrófica. Isto, entretanto, não é uma regra absoluta. A análise dos antecedentes, como já o dissemos, nos facilitará o prognóstico cicatricial, assim como a análise de eventuais cicatrizes prévias.
Existe correção para as cicatrizes hipertróficas e queloides?
Vários recursos clínicos e cirúrgicos nos permitem melhorar cicatrizes inestéticas. Não se deve confundir, entretanto, com a evolução natural do período mediato da cicatrização. Qualquer dúvida a respeito da sua evolução cicatricial deverá ser esclarecida com o seu cirurgião, que fará a avaliação do estado em que se encontra a cicatriz.
Como ficarão minhas novas mamas, em relação ao tamanho e consistência?
As mamas terão seu volume aumentado através da cirurgia, melhorando sua consistência e forma com a intervenção cirúrgica. Para um resultado natural deve-se preservar a harmonia entre o volume das mamas e o tamanho do tórax. Após a cirurgia a mama passará por vários períodos evolutivos: .

1. PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30º dia. Neste período, apesar das mamas se apresentarem com aspecto bastante melhorado, sua forma e volume ainda estão aquém do resultado planejado. Lembre-se desta observação: NENHUMA MAMA SERÁ "PERFEITA" NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO. .

2. PERÍODO MEDIATO: Vai do 30º dia até o 3º mês - Neste período, a mama começa a apresentar uma evolução que tende à forma definitiva. São características deste período um maior ou menor grau de "inchaço" das mamas; além disso, as cicatrizes encontram-se em plena fase de transição, apresentando-se ainda avermelhadas e endurecidas. Apesar da euforia da maioria das pacientes já neste período, costumamos dizer às mesmas que seu resultado ficará melhor ainda, pois isto será a característica do período tardio. .

3. PERÍODO TARDIO: Vai do 3º até o 18º mês. É o período em que a mama atinge seu aspecto definitivo (cicatriz, forma, consistência, volume, sensibilidade, etc.) É neste período que costumamos fotografar os casos operados, a fim de compará-los com o aspecto pré-operatório de cada paciente. Tem grande importância no resultado final, o grau de elasticidade da pele das mamas, bem como o volume da prótese introduzida.
Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo?
Apesar do resultado imediato ser muito bom, somente na fase mencionada como "período tardio" (vide item anterior) é que as mamas atingirão sua forma definitiva.
Qual o tipo de biquini poderei usar após a cirurgia?
Nos primeiros 30 dias você usará exclusivamente um Sutiã pós-cirúrgico específico. Após esse período o cirurgião irá aos poucos liberando outros acessórios.
No caso de nova gravidez, o resultado permanecerá ou ficará prejudicado?
Isso depende de como a sua mama se comportará durante a gestação. É normal que as mamas se desenvolvam durante a gestação e regridam após a mulher parar de amamentar. É como se fosse um efeito sanfona. O resultado da cirurgia ficará mais prejudicado quanto maior for esse “efeito sanfona”.
Há perigo nesta operação?
Raramente a Mamoplastia de Aumento traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para o ato operatório, além de ser uma cirurgia relativamente rápida, de pequeno/médio porte.
Qual o tipo da anestesia utilizada?
Normalmente anestesia geral, ou local com sedação.
Quanto tempo dura o ato cirúrgico?
Em média de 50 minutos. Entretanto, o tempo da cirurgia não deve ser confundido com o tempo de permanência da paciente no Centro Cirúrgico, que envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória.
Qual o período de internação?
Entre 12 a 24 horas.
Vou usar dreno na minha cirurgia?
Normalmente não utilizamos drenos em cirurgias de prótese de mama.

Guia Pré-Operatório


  • Suspender o fumo e anticoncepcional conforme orientado em consulta

7 dias antes da cirurgia:

  • Evitar: Ginkgo Billoba, ômega 3 e alho (todos são estimulantes da circulação e aumentam o sangramento cirúrgico)
  • Não tomar: Aspirina (AAS)
  • Tomar de 2-3 litros de líquidos
  • Evitar bebida alcóolica
  • Manter exercícios físicos, caso não faça, fazer caminhada por 30 minutos diariamente
  • Alimentação leve, evitando alimentos gordurosos
  • Durma com qualidade, respeitando o seu cansaço e evitando alimentação próxima ao momento de deitar
  • Não fazer viagens longas 1 dia antes da cirurgia
  • Jejum absoluto inclusive água 8h antes da cirurgia

  • Tricotomia (depilação) total das axilas
  • Medicamento de rotina com mínimo de água (Informar o Dr. Fabrício/assistentes)
  • Caso utilize esmaltes que seja claro
  • Não ir de cabelo molhado para o Hospital
  • Retirar brincos, piercing ou qualquer outro tipo de metal
  • Levar para o hospital todos os exames pré-operatórios
  • Leve roupa “prática” com botões e chinelos
  • Leve medicamento de uso contínuo
  • Não leve objeto de valor e supérfluos
  • Antes da cirurgia Dr. Fabrício passa no quarto e conversa com paciente e familiares
  • A mesma é levada ao centro cirúrgico onde será realizada a anestesia (geral ou local com sedação)
  • O tempo cirúrgico ocorre em torno de 50min
  • No fim da cirurgia colocamos o modelador cirúrgico e a paciente é encaminhada para a recuperação anestésica
  • Dr. Fabrício passa no quarto para conversar com familiares dando todas as informações inerentes ao ato cirúrgico
  • Em seguida a paciente é levada para o quarto onde será oferecido líquido e dieta
  • Mantemos o aparelho Flebopress (massageador de permas) para evitar trombose

  • A alta médica é realizada no fim do dia ou no dia seguinte onde a paciente será examinada e todas as dúvidas esclarecidas

Orientações para Mamoplastia de aumento (prótese):

  • Alimentação rica em proteínas (frango ou peixe), frutas e verduras. Evite gorduras
  • Tome muito líquido (3L/dia): água, suco natural, gatorade e a água de coco
  • Você não está doente, portanto não fique apenas deitada. Quando estiver descansando movimente membros inferiores e mãos
  • Modelador cirúrgico 24h. Não molhar o curativo até o primeiro retorno
  • O uso de antibiótico pode diminuir a eficácia do anticoncepcional. Portanto, relação sexual somente com camisinha por 30 dias
  • Não realizar esforço físico. Dirigir, academia e exposição solar após liberação médica
  • Evite todas as formas de calor
  • Ter febre baixa no pós-operatório é normal, mas se exceder 38°. C entre em contato
  • Seguir receita médica
  • Dor leve, equimose (roxo), discreto sangramento e edema (inchaço) nos primeiros dias são normal
  • Lembre-se: o sucesso da cirurgia também depende de você. Boa Recuperação!

  • Material para curativos: gaze e micropore (3M)
  • 1° Retorno: entre o 3° - 5° dia (limpeza da ferida)
  • 2° Retorno: entre 7° - 10° dia
  • 3° Retorno: entre 14° - 20°
  • O próximo retorno é por volta de 1 mês de cirurgia
  • Dirigir, academia, retorno ao trabalho e relações sexuais dependem da recuperação individual de cada paciente

Considerações Finais

Por favor, leia atentamente

Após as explicações supracitadas, esclarecemos que o procedimento cirúrgico deve ser realizado segundo técnicas cirúrgicas consagradas e publicadas cientificamente. Enfatizamos que em cirurgia plástica não há promessa de resultados o que, eticamente, não deve ser feito, uma vez que a própria medicina não é uma ciência exata e dependeremos da sua reação orgânica pós-cirúrgica para o alcance de nossos objetivos.

O código de normas e condutas do Cirurgião Plástico da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica proíbe a exibição de fotos de pré e pós-operatório nos meios de comunicação, como jornal, internet e TV, mesmo que haja autorização do paciente. Também é vedada a divulgação de preços e condições de pagamento.

Procure um médico especialista e veja o implante mamário que é indicado a você.

Sua consulta é fundamental para completo esclarecimento, inclusive complicações inerentes a qualquer procedimento médico.

Verifique se o seu médico pertence à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e está gabaritado a fazer a sua cirurgia.

Agende sua consulta

whats